Sistema de Construção a Seco da Saint-Gobain obtém o DATEC do Ministério das Cidades

Esse sistema construtivo é voltado para moradias de interesse social e foi desenvolvido e adaptado à realidade brasileira durante três anos pela Saint Gobain em parceria com a Universidade de Minas Gerais (UFMG) e assessorado pelo Centro de Tecnologia de Edificações (CTE).

"Trata-se de uma verdadeira industrialização da construção, utilizando placas cimentícias sem amianto, produtos para isolação térmica e acústica em lã de vidro, placas de drywall, argamassas e impermeabilizantes da Weber", afirma o diretor de Projetos - Marketing Habitat da Saint-Gobain no Brasil, Paulo Perez.

A estrutura da casa de aço pré-fabricado é montada no canteiro utilizando mão de obra especializada. O material empregado no acabamento é o mesmo utilizado em obras de alto padrão diferenciando assim o produto final de outras habitações populares do mercado.

São inúmeras as vantagens desse sistema construtivo, desde a própria construção até a manutenção do produto final. As casas são confortáveis, sustentáveis e de fácil manutenção, cada proprietário recebe um manual de instruções da casa e pode fazer um reparo hidráulico e elétrico de forma rápida e "limpa".

Outro destaque é a velocidade na construção das casas em relação ao sistema convencional de alvenaria. O sistema a seco leva de 8 a 9 dias para chegar à fase de acabamento, o convencional dura 40. Essa economia pode representar uma redução de 35% a 40% do tempo total da obra.

O Sistema de Construção a Seco Saint-Gobain foi aplicado pela primeira vez no Brasil em habitações populares em Ponta Grossa no Paraná, em um empreendimento do Minha Casa Minha Vida. Das 339 casas financiadas pela Caixa Econômica Federal, 40 foram construídas com o sistema.

Fonte: Assessoria de Imprensa Saint-Gobain

© Direitos Autorais Reservados.